fbpx

Apresentando o CICD, as Pessoas e os Programas

Aqui, apresentaremos os programas e as pessoas do CICD e faremos o possível para dar uma idéia de como é a vida cotidiana aqui. O CICD é um lugar cheio de ativistas. Adotamos uma posição ativa em relação a alguns dos problemas mais graves do nosso tempo e decidimos manter-nos lado a lado com as pessoas que trabalham para mudar suas condições para melhor.
Desde 1998, já treinámos mais de 1200 voluntários - Instrutores de Desenvolvimento e Ativistas do Clima - no CICD - pessoas de todas as idades, 80 nacionalidades diferentes, religiões diferentes, origens diferentes em todos os aspectos. Cada um desses voluntários realizou um trabalho de desenvolvimento na linha de frente em projetos executados pela Humana People to People na África Austral e na Índia. Reserve um momento para pensar sobre isso - e tome em consideração que temos quatro escolas irmãs que executam o mesmo tipo de programas.

Junte-se ao nosso movimento para construir um futuro melhor

Juntamente com as milhares de pessoas nos projetos de desenvolvimento, formamos uma Brigada Internacional verdadeiramente única, atuando sobre a maior contradição do mundo de hoje - a diferença entre ricos e pobres.
Nosso movimento é construído em união, confiança, progresso e respeito pelo ser humano individual. Num mundo em que conflitos violentos criam divisões entre as pessoas, desconfiam e desconsideram a vida humana, lutamos muito para manter nosso ethos e cultura em tudo o que fazemos.
O Pobre é a pessoa cuja situação é tão desesperadora, que ele precisa de uma ajuda para levantar a cabeça de tal maneira que possa ver um futuro para si e sua família após a próxima refeição. A pobreza não é apenas um fenômeno a ser estudado e teorizado - vemos uma grande multidão de Pobres - pessoas como você e eu, que não tiveram chance de começar e que são vítimas de séculos de exploração destes países pelos nossos países - uma exploração que continua até hoje. Mais da metade da população mundial vive com menos de US $ 2,5 por dia. É uma vergonha, e precisamos de fazer algo a esse respeito.
Acreditamos firmamente que a única maneira de vermos alguma mudança real no mundo é quando muitas pessoas se únem e dizem "basta" e criam o futuro que queremos para nós e para a próxima geração.

Agindo para fazer uma mudança!

Não podemos esperar que governos e autoridades o façam. A situação para muitos está piorando, não melhorando. O consumo médio de uma família na África caiu 20% nos últimos 25 anos. Por que, com todos os recursos, know-how e tecnologia disponíveis para nós hoje em dia, isso é permitido? Ao mesmo tempo, os países ricos fecham suas fronteiras, reivindicam pagamentos de dívidas de países desesperadamente pobres e impõem condições a empréstimos e doações que não atendem aos interesses dos pobres, mas dos próprios países doadores. Essa é a consequência de um sistema econômico orientado pela competição por ganhos pessoais.
Para o indivíduo, tudo isso pode ser bastante assustador e, ao acrescentar que agora estamos enfrentando a lei por não cuidar do meio ambiente - bem, temos que agir. Não há mais dúvida - as mudanças climáticas estão acontecendo. Alguns cientistas dizem que é tarde demais para revertê-lo - tudo o que podemos fazer é preparar-mo-nos para o pior. Achamos os nossos políticos e líderes incapazes de se unir e apontar uma direção clara. Todos sabemos que os combustíveis fósseis que queimamos tão massivamente estão acabando. Sabemos que a população mundial está aumentando e que o maior aumento ocorre na parte mais pobre do mundo. É lógico que o estilo de vida e o nível de consumo com os quais crescemos não podem continuar. Testemunhamos um número crescente de desastres naturais sérios - tsunamis, incêndios florestais, inundações, terremotos. Portanto, faz sentido ter um plano e uma estratégia, mas não podemos confiar nos líderes mundiais para fazê-lo. Temos que nos reunir e começar a criar um futuro diferente.
Um filósofo sábio disse uma vez: "Investigar um problema é resolvê-lo". O mesmo vale para os desafios que enfrentamos nas próximas décadas. Somente quando os enfrentamos, investigamos, entendemos e aprendemos a lidar com eles é que podemos tomar as medidas corretas. Fazemos isso no CICD. Todos os nossos programas estão solidamente fundamentados na realidade de hoje e voltados para o futuro. É essencial que vivamos e trabalhemos coletivamente. As tarefas que enfrentamos são grandes demais para serem resolvidas sozinhas.

Não há receita para o desenvolvimento

Trabalhamos com desenvolvimento em todos os níveis, mudando as coisas para melhor. Nos projetos na África e na Índia, no CICD, na comunidade em geral, nas equipas e grupos e, de facto, com cada um de nós pessoalmente. Não é um passeio fácil. Trabalhar com desenvolvimento é empolgante e desafiador, porque não há receita. Como ajuda uma comunidade no Malawi a criar uma situação melhor para si? Você não encontra a resposta correta numa enciclopédia. Talvez não haja sequer uma resposta "correta". Precisa usar sua imaginação e criatividade, aprender com seus fracassos, ser corajoso e nunca desistir. Os estudos podem ajudá-lo a fazer a análise correta, mas a melhor maneira de aprender são os estudos combinados com a prática em conjunto com os outros. É esse tipo de prática que você adquire no CICD. A aprendizagem aqui é baseada em ações, e você estará constantemente envolvido em projetos, ações, planeamento e conclusões.
Todos compartilhamos a responsabilidade de manter o CICD com tudo o que isso implica. É claro que existem todas as coisas práticas – gerencia de cozinha e comida, limpeza e manutenção, cultivo de hortaliças e cuidados com nosso belo parque, cuidados com veículos e equipamentos, gerenciamento da economia da equipe etc. etc. Vivendo coletivamente, também compartilhamos a responsabilidade pela saúde e desenvolvimento uns dos outros. Para muitos, é a primeira vez nas suas vidas que vivem dessa maneira, juntamente com pessoas que não escolheram. Existem conflitos a serem resolvidos, questões a serem discutidas, diferenças entre as pessoas a serem usadas da melhor maneira possível. Todos nós temos que trabalhar em nossas habilidades sociais e interação com os outros.
Os nossos métodos de ensino não são tradicionais e exigentes, tanto para alunos quanto para professores. Todos temos que estar ativos e envolvidos para tirar o máximo proveito disso - é aqui que começa, para criar a mudança que queremos!

Sozinho o mundo muda-o. Juntos, mudamos o mundo.